Três dicas importantes para um Casamento bem sucedido

Nunca é demais ou desnecessário oferecer dicas para ajudar casais a ter um bom casamento, sobretudo nestes tempos onde qualquer casamento está em risco, mesmo aqueles de casais já maduros e depois de casarem na igreja.

Casamento indissolúvelVoltamos a este assunto devido à sua importância e também à manifestação, por parte de alguns amigos, dizendo que “gostariam de ver esse tema ampliado, por assim dizer”. Logo, sem mais delongas, vamos oferecer mais 3 (três) “dicas” que ajudam a dar êxito a um casamento, independente dele ser um matrimônio cristão ou não.

Converse, converse, converse…

Casal conversando em péPode ser algo tão batido que parece pobreza mental dizer isso. Entretanto e contudo, é uma das coisas que mais salvam relacionamentos. Infelizmente os casais modernos estão sendo bombardeados de todos os lados por dezenas de informações e contra-informações, compromissos e responsabilidades. Com o tempo, toda essa enxurrada de situações vai tirando o sentimento dos eixos, e assim o golpeado é o relacionamento em geral, incluindo até a ruína do casamento.

E há um sinal bastante sintomático acontecendo no mundo e nos divãs dos terapeutas de casais, a saber: Se você perguntar para um casal que sempre se deu muito bem, o motivo pelo qual estão enfrentando um esfriamento ou até um distanciamento, provavelmente ouvirá deles, depois de certa reflexão, a seguinte resposta: não sei. Isto é: Muitos casais acabam se separando muito mais pela falta de comunicação do que por quaisquer problemas realmente incontornáveis.

Por isso é preciso manter o diálogo sempre aberto e honesto, custe o que custar, e ambos precisam aprender a conversar, trocar idéias, planejar juntos, etc., sobretudo se ambos conseguem manter a boa educação e não “estouram”. Claro, não sabemos se o seu parceiro é estourado ou não, se sabe conversar ou não; caso não saiba, é preciso ensiná-lo com sua própria atitude (como diz a Bíblia), controlando sempre o tom de voz e nunca tentando atropelá-lo ou interrompê-lo no meio de uma frase.

Não perca o momento, o foco, o contato…

Casal de coelhinhos apaixonadosComo se pode dizer que é quase “normal” os romances “esfriarem” com a passagem do tempo, o casal então passa a ter menos contato físico do que gostaria (isso não quer dizer que seu/sua esposo(a) não lhe queira mais ou coisa parecida). É a luta pela sobrevivência, a correria dos dias e seus problemas, que acabam por arrancar o encanto de nossas vidas particulares, até bem pouco tempo tão felizes.

Infelizmente, muitos profissionais deixam seus problemas particulares na porta da empresa, mas não deixam os problemas da empresa na porta de casa! Por isso, é preciso, da mesma maneira, deixar os problemas profissionais na gaveta do escritório e não levá-lo para dentro de casa, onde sua família lhe espera com saudade e carinho.

Casamentos bem sucedidos (como o “Casamento-a-Três”) normalmente não perdem a vontade do contato em si: por isso sempre se beijam, se tocam e até mesmo andam de mãos dadas. Nunca é demais lembrar que, se Deus nos fez de carne e osso, então é porque o contato físico reforça os sentimentos humanos e dão a certeza de que estamos ao lado de alguém valioso para nós, alguém muito importante para a nossa existência terrena.

Se tiver tempo e saúde, ajude nas atividades domésticas…

Help em casa-1Essa é uma dica quase exclusivamente para os homens, pois Deus colocou no coração da mulher uma chama aprazível de serviço, e dificilmente uma alma feminina é feliz “sem se sentir importante”, e isso acontece sempre quando ela ouve alguém dizer acerca de algum serviço dela: “Gostou? Pois quem fez isso foi ela”. Inobstante, nós homens também trabalhamos bastante, mas nossa chama apaga logo. Muitas vezes também achamos que serviço doméstico é indigno de nosso nome ou currículo, e por isso contratamos empregados que às vezes mal merecem nossa confiança.

Por tudo isso, muitas vezes encontramos as esposas nervosas (ou a ponto de explodir) porque, além de trabalharem fora, têm que lidar com empregados que nem sempre agem com o mesmo interesse dela na organização da casa. Pior, toda Mulher tem uma luta renhida com seus hormônios (que a inquietam), além de atualmente assumirem trabalhos externos para ajudar no orçamento familiar – sem falar na educação dos filhos, que é dose pra leão!

Por tudo isso é importante que o homem da casa tenha consciência dos esforços de sua mulher, e que tente ao menos ajudá-la nas tarefas que pode realizar com perfeição. Assim, ela terá mais tempo, não somente para o seu universo feminino (mesmo as mulheres crentes precisam disso!), mas também, como um presente de Deus, ela terá mais tempo para dedicar seu carinho à família e sua atenção ao marido.

 

Sobre John Valente

Prof. John Valente - Especialização: relacionamento conjugal cristão; Formado em Administração de Empresas e Teologia, especializou-se em Ciências da Religião, e participou de diversos cursos e treinamentos na área de relacionamento conjugal, inclusive o Seminário de Relacionamento Afetivo da “Agência de Casamento” que lhe apresentou à sua esposa.
Esta entrada foi publicada em Casamento. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code