Solução prioritária: fugindo da ditadura da beleza

A proposição básica do nosso site não se dirige às mulheres muito belas ou que se acham assim: Beleza demais até atrapalha. O que propomos é o retorno à sensatez de se buscar, na profundidade da alma humana, o segredo para a felicidade a dois, que independe de olhos azuis ou seios fartos.

Olivia Palito-2 (1000 x 766)

O mundo moderno arrancou, lá das catacumbas do inferno, uma série de ervas daninhas para prejudicar o Jardim de Deus, e isto pode ser reflexo do mal que fizeram no primeiro Jardim, quando o Homem e a Mulher viviam a plenitude da paz.

Não se espante o leitor se conseguir constatar, por sua própria iniciativa, a dura verdade da completa inversão de valores promovida pela modernidade, ao ponto de se encontrar prazer e alegria em atitudes de pura crueldade, como aquelas incluídas no significado da expressão inglesa “bullying”.

Quem de nós nunca viu os gritos de prazer e satisfação da zombaria geral quando 5 ou 6 meninos saem pulando de alegria e galhofa por ter achincalhado um garoto meio tímido, com óculos de fundo de garrafa, e que na Informática é o bicho? Quem nunca ouviu gargalhadas de humilhação dadas a um nerd? Ou a um tipo mal formado, com nariz enorme ou orelhas de abano?

bullying-2Ora; esta situação reflete uma espécie de maldade que já se incorporou ao coração humano, mas que teve sua origem lá nas alvoradas eternas, quando um espírito invejoso saiu a vaiar outros espíritos de luz que se mantiveram fiéis ao Grande Espírito, e ali nasceu o vício de inferiorizar os outros pela vaia, pela zombaria e pelo despeito.

E o vício no coração humano foi longe demais, ou muito mais longe do que a Humanidade poderia prever, pois que a mofa passou a ser praticada e tolerada (e até aplaudida) contra criaturinhas absolutamente inocentes na história, como portadores de Síndrome de Down, afrodescendentes e outros indivíduos alijados, cujo único “defeito” era apenas presunção de seus detratores.

bullying-5Pior: aqui recrudesceu a maldade de incluir também a mera incompatibilidade com os padrões de beleza da sociedade, e assim qualquer mulher que não tivesse pernas grossas e torneadas, bumbum grande e empinado, seios elevados e firmes, cabelo liso e rosto bonito, estaria sob ameaça de entrar no corredor polonês das zombarias, no meio das quais poderiam atuar até “amigas” de infância, que mais pareciam anjinhos na escola fundamental.

Pior, os homens não zombavam delas, mas caíram na sedução da beleza e com isso as chamadas “feias ou feiosas” nunca mais se levantaram, e assim sua vida passou a ser o cruel dilema entre manter-se na dignidade da moral cristã e correr o risco de jamais experimentar o amor, ou se atirar cegamente para o sexo fácil, jogando com a sorte e assim podendo sonhar com algo mais um futuro…

Mulher troglodita carregando machoE então o inferno mais uma vez triunfou neste mundo. Aconteceu o pior: pela chegada das feias ao mercado e pela profusão das belas ocasionada pela explosão demográfica, TODAS as mulheres passaram a agir feito loucas, como se ter um macho ao seu lado fosse sinal de alguma inteligência superior, ou como se os machos modernóides tivessem alguma varinha mágica entre as pernas, quando às vezes mal têm a dignidade de uma vara de pescar!

Então tudo ficou reduzido ao que machos e fêmeas têm abaixo do umbigo, como se os milhões de anos de Evolução tivessem sido inúteis, e a Humanidade tivesse preferido voltar às cavernas! Porque nas cavernas pelo menos a feiúra das macacas não era levada em conta, o os macacos apenas queriam uma fêmea para aumentar sua família e a segurança que isto representava para uma época de bestas-feras.Kelly Brook-Mulher perfeita2015Foi somente com a chegada da modernidade, e, principalmente, com o advento da TV mundial, que a beleza passou a ditar regras, e a fazer-se rei e lei para todos os juízos de valores. Foi também com a modernidade que as ditas “feias” perderam sua função, pois ninguém mais quer procriar, a não ser por acidente. Pior, além de lindas, as mulheres atuais precisam ser magérrimas, o que rema contra a correnteza da natureza, pois muitas magras tendem à anorexia e a outras doenças metabólicas, formando um exército de esquálidas a gastar os tubos com médicos e remédios. A coisa é tão medonha que até a Ciência já saiu em defesa de uma estimada “mulher perfeita”, e na última pesquisa elegeram ninguém menos que Kelly Brook como modelo ideal de beleza feminina (confira NESTE link). Enfim, eis aí o retrato resumido do inferno atual. Então, o que fazer?

Para variar, não há soluções simples num planeta varrido pela Lei de Murphy. Se as feias quiserem algum lugar ao sol, precisarão trabalhar para valorizarem a beleza que só elas têm (a interior, quando têm), e adicionar a isso um cuidado maior com sua saúde, higiene e espiritualidade. A idéia é que uma moça sem atributos estéticos possa estudar para ter valor intelectual, que possa com isso conseguir um bom emprego (isto já está ocorrendo no mundo, pois há inúmeras “horrorosas” chefiando empresas), que freqüente uma boa igreja, que leia a Bíblia – quem sabe Deus não lhe responde as orações? – e também, ao mesmo tempo, que se cuide naquilo que for possível, como no uso de roupas elegantes e belas, mas jamais vulgares; que vá a bons salões de beleza, etc.; se é que o sonho é um casamento, pois, do contrário, tudo isto pode ser dispensado.

Log de Casamento-a-Três Transparent (180 x 250)Se o plano for ainda mais belo e a moça de beleza interior quiser um casamento-a-três (aquele entre o homem, a mulher e Deus), então deve dar mais ênfase nas instruções dadas – a Internet inteira disponibiliza isso, como NESTE site – acerca de estudos, trabalho e freqüência à Igreja, pois para Deus não há obstáculos no gosto dos homens nem concorrências com mulheres bonitas: Deus já fez casamentos muito mais difíceis no passado, até em lugares onde não havia homens!

Com efeito, a proposição básica do nosso site não se dirige às mulheres belas. Para nós, beleza demais até atrapalha! Pois leva à presunção e à gabolice, e os homens decentes detestam mulheres que andam pisando em ovos, pois um dia elas vão pisar nos deles!

Enfim, o que propomos é o retorno à sensatez de se buscar, na profundidade da alma humana, o segredo para a felicidade a dois (e a três, com Deus), que independe de olhos azuis ou seios fartos. E tal coisa jamais será muito difícil para a mulher que, consciente de seu sexto sentido e de sua inteligência emocional privilegiada, dedicar-se a encontrar, na solidez da realidade, os sonhos realizáveis por Deus, que guarda todos os tesouros para as noivas de seu Filho. E lembre: Jesus não prioriza só freiras. É que estas, por estarem separadas do mundo, às vezes nem lhe dão a alegria de terem vencido as tentações, as quais, quando vencidas, tornam suas filhas muito mais fortes. Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça!

Sobre John Valente

Prof. John Valente - Especialização: relacionamento conjugal cristão; Formado em Administração de Empresas e Teologia, especializou-se em Ciências da Religião, e participou de diversos cursos e treinamentos na área de relacionamento conjugal, inclusive o Seminário de Relacionamento Afetivo da “Agência de Casamento” que lhe apresentou à sua esposa.
Esta entrada foi publicada em Casamento. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code