“Paquerologia”: O perigo das ofertas mundanas

Num mundo mergulhado na promiscuidade e na imoralidade, até mesmo as Agências de Casamento e Sites de Relacionamento podem representar perigo para a jovem e o jovem cristãos, seduzidos pela facilidade dos encontros…

O perigo das ofertas mundanasLamentando o atraso nesta verificação, este Site vem agora a seu público (visitantes, amigos e inscritos) revelar sua perplexidade e até estupefação com a real situação dos “Sites de Relacionamento Amoroso pós-modernos”, entendendo didaticamente – por assim dizer – que as últimas 3 (três) décadas como que estragaram tudo o que havia de bom e positivo nas “Agências de Matrimônio” da década de 70 e 80, apontando um futuro sombrio para quem ainda nutrir em sua consciência, algum resquício da Moral cristã que norteava namoros, noivados e casamentos em outras eras.

E de imediato corremos a adiantar que não vemos nos tais Sites uma culpa mais direta pela origem desta depravação global da sociedade, embora saibamos que se alguém se aproveita de uma “brecha legal” para cometer ilegalidades, está também carregando a culpa de promover o alastramento da perversão iniciada por outrem, do mesmo modo como obtém culpa de roubo a pessoa que segura a escada para o ladrão roubar.

Assim sendo, o culpado pela origem da depravação é, em última análise, o coração desobediente do Homem, que desde o princípio do mundo se afastou de Deus pela ilusão de uma liberdade enganadora, que nada mais era que a libertinagem doentia dos instintos, e assim caminhou até os dias de hoje afundando cada vez mais no lamaçal da imoralidade e da perversão. Isto aqui se diz para não deixar escapar o culpado geral da desordem (e fazer isto é de uma utilidade transcendental), mas na verdade queremos nos ater ao segundo e ao terceiro culpados, bem entendido, o veículo que alienou e depravou a Humanidade em direção aos seus mais animalescos instintos.

Manipulação midiática-2Referimo-nos à grande Mídia de massas, sobretudo à Televisão Aberta, que desde a década de 60 inocula sem piedade o veneno da pornocracia, levando as consciências a não respeitar e a sequer se importar que haja qualquer Lei Moral neste planeta. Isto posto, e a partir desta “ajuda” poderosa para empurrar pessoas ao suicídio espiritual, as iniciativas humanas que se concentravam em aproximar homens e mulheres para um romance a dois, acabaram se transformando em “Agenciadoras do Amor Livre”, e depois em “Agências de Adultério”, sem falar na “promoção de orgias”!

Com efeito, como esta sociedade atual foi sendo bombardeada pela propaganda erótica desde a metade do Século XX, não é de admirar que todo mundo tenha se habituado de tal modo à devassidão que até mesmo a ninfomania (o vício irresistível de copular o tempo todo) receba hoje seus aplausos, com filmes, livros e peças de teatro, sem falar de artistas que “se gabam” de ser assim, inteiramente dominados por seus instintos, como se seus cérebros estivessem danificados ou anulados.

Todo mundo sabe, em comparação, o quanto é fácil fazer plantas nascerem num terreno bem adubado e bem regado. O mesmo aconteceu aqui: com a sociedade inteira acatando e até ‘aplaudindo’ artistas imorais e sexomaníacos, não é de se espantar que muitos ramos do comércio apliquem e reforcem suas estratégias sobre produtos eróticos, incrementando absurdamente as suas vendas e ampliando seus lucros, enriquecendo às custas do vício alheio, tal como lucram os traficantes de drogas (aliás na sexologia também existem drogas que viciam, como viagras e outros acessórios para tarados e insaciáveis).

Sociedade viciada em sexo-3Logo, não há nada de ilógico em antever que, com uma sociedade assim viciada em sexo (a foto acima diz tudo), e com os imorais gastando os tubos para aumentar sua performance sexual e o número de parceiros de cama, os sites de relacionamento e as tais “Agências de Casamento Pós-modernas” tenham se tornado verdadeiras arapucas de prostituição (se há interesse financeiro há prostituição), onde jovens e principalmente moças sejam atraídas para sua inscrição ali, deixando-as então a mercê de um – ou vários – encontros eróticos, isso quando não há menus de swing, ménage e orgias envolvidos nos bastidores dessas empresas, geralmente camuflados ou só tardiamente apresentados aos seus inscritos.

Isto posto, é com toda honra e segurança que este Site Casamento-a-Três vem oferecer-se como única – ou quase única – alternativa de qualidade moral no universo de ofertas se sites de relacionamento, vez que opera especificamente para promover relacionamentos entre cristãos e crentes conscientes, levando em conta todos os requisitos morais elencados na Palavra de Deus, sem papas na língua. Neste mister, postula-se como uma assessoria vigorosa das igrejas e um braço forte na moralização da sociedade, a partir da pregação do Evangelho aos seus inscritos e visitantes que se disponham a aprender conosco a ética dos relacionamentos amorosos.

Bíblia-bússola-1É claro que o pessoal do Site Casamento-a-Três conhece boas Agências de Casamento e sites dignos de menção, e não se furtará a informar aqui alguns desses sites, embora em clara confissão de nunca ter se imiscuído tão profundamente nos mesmos para poder dar um testemunho com 100% de segurança neste mister, cabendo aos nossos colaboradores e inscritos mais antigos uma averiguação compartilhada de suas experiências no mercado online de relacionamento amoroso. É isso com que queremos contar para informar numa próxima postagem sobre nossos “concorrentes”. Eis a seguir os nomes que podemos oferecer como exemplos de parceiros dignos de atenção:

1) Amor-em-Cristo: http://www.amoremcristo.com/

2) Divino Amor: http://www.divinoamor.com.br/

3) Romance Cristão: http://cristao.namoroonline.com.br/

4) Namoro Cristão: http://www.namorocristao.net/

5) Namoro Evangélico: http://www.namoroevangelico.net/

6) Amor Gospel: http://www.amorgospel.com.br/

Finalmente, com toda a disposição de servir de bússola para a juventude cristã em meio a este oceano de imoralidade da sociedade atual, este Site se coloca para a cristandade, não apenas como um intermediário – tipo “cupido” – para aproximar jovens crentes, mas também como um “informante de confiança” para as lideranças religiosas, sobretudo os líderes de mocidade, os quais em cada igreja devem encontrar dificuldades enormes na administração do discipulado (para não dizer “controle” da programação da igreja)… Caso contrário, se este cuidado não existe, então é um sinal de que a igreja já “naufragou na onda” e está, ela própria, fazendo vista grossa para a situação presente no mundo.

 

Sobre John Valente

Prof. John Valente - Especialização: relacionamento conjugal cristão; Formado em Administração de Empresas e Teologia, especializou-se em Ciências da Religião, e participou de diversos cursos e treinamentos na área de relacionamento conjugal, inclusive o Seminário de Relacionamento Afetivo da “Agência de Casamento” que lhe apresentou à sua esposa.
Esta entrada foi publicada em Casamento. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code