Orientando adolescentes a amadurecer sua estreia no amor

Se você ainda não alcançou 18 anos, mas já se decidiu por Cristo e deseja um relacionamento sério para não cair em tentação, então este post e este site poderão lhe ajudar bastante. Se você é pai ou mãe de adolescente, idem.

Mãe conversa com adolescente-1.gifUma propaganda já dizia: “De complicada já basta a vida!”. E se concordamos que a vida é complicada, a adolescência então é um verdadeiro labirinto. Pior ainda, pois a modernidade quis “amadurecer à força” meninos e meninas (aliás, amadurecer não, e sim, precipitá-los no traiçoeiro jogo do amor, com o qual até adultos se arrebentam) e agora não sabe mais o que fazer para conter a sexualidade depravada na qual isso resultou; sem contar que a maioria, igualmente inflamada pela propaganda erotizante da mídia, nem sequer deseja que as adolescentes sejam castas e esperem a maioridade (quanto mais o casamento!). Este é o drama de que trata este artigo.

Sim. Então o que fazer? Já que os adolescentes caíram na vida cedo demais, e já que a geração que os poderia ajudar, está ela mesma mergulhada na lama e até “saboreando” a depravação geral, como se pode dizer neste caso que “para tudo se dá um jeito”, como diz a sabedoria popular? Eis aí um drama real e de cores fortes, pelo qual tememos que a resposta seja algo que tenha chegado tarde demais! Porém, tentaremos manter o otimismo pela força da esperança cristã, e não necessariamente daremos conselhos “castos” (certamente estes não surtem mais efeito nenhum!), supondo que se pode elencar algumas dicas para o pouco juízo desta adolescência perdida, naquele bom senso que propõe “dos males o menor”. Vejamos isso agora.

Relógio clássico-1Primeiro. Todos temos que ter sempre em mente, e não apenas os adolescentes, que Deus fez a Terra com um tempo certo para tudo, e todo mundo é chamado a administrar bem o seu tempo, reservando tempos e tempos para cada coisa. Assim, iniciar o jogo do amor também possui o seu tempo certo, e os pais precisam aqui ter um papel fundamental, pois eles devem (deveriam) saber que precipitar esta fase da vida pode ser um baita desastre. Assim, o que se pode dizer ao adolescente é que ele deve ser minimamente inteligente para perceber o momento certo de namorar, o qual deveria pressupor surgir somente após um bom período escolar, quando o jovem ouve sua escola dizer que ele agora tem um futuro brilhante pela frente, pois foi aprovado em todas as matérias!

Adolescentes estudiosos-1[Fica claro que namorar sem um bom desempenho escolar pode aumentar o perigo, pois adolescentes têm os hormônios vivíssimos e em qualquer deslize pode pintar uma gravidez indesejada e o jovem de más notas, com muita dificuldade de conseguir um emprego, empurrará para seus pais toda a despesa com a criança e a responsabilidade que deveria ser dos adolescentes, prejudicando o bebê, seu tempo escolar, seu futuro e sua família vindoura, sem contar o mau testemunho que dará para a igreja e o Evangelho!].

Após isso, quando os estudos sérios deram o devido amadurecimento ao(à) jovem, e se ali ele/ela percebe que alguém está interessado nele(a), pode então começar a tirar proveito de suas rodas de amigos, pois por ali poderá surgir a ocasião ideal para iniciar um relacionamento, o qual necessariamente deve começar por uma amizade, feita à luz das outras amizades do grupo. Sendo crente, o grupo ideal seria a comunidade jovem de sua igreja.

O jovem ou a jovem percebe o interesse do outro por um olhar, ou por um sorriso insistente, ou até quando o rosto do(a) outro(a) fica vermelho: coisas normais no jogo do amor, e mais normal ainda entre “animais sadios” como os jovens…

Adolescentes paquerando-1Nesta hora, o(a) jovem não deve jamais aparentar atitudes de “encolhimento” ou insegurança para iniciar uma conversa. Isso vai quebrar a imagem que o outro quer descobrir em você e isto é ruim quando acontece durante o momento da paquera. Adicione um sorriso natural às suas conversas, pois este primeiro contato será marcante para o resto de suas vidas. Lembre que aqui falamos de aproximar, não de “grudar”. Tocar de leve no braço ou nas costas, como que querendo tratar doutro assunto, e não demorar demais na própria conversa: isto demonstra seriedade e maturidade além de sua idade, que são decisivas na conquista.

Dois gestos simples devem ser evitados, pois demonstram de novo imaturidade ou insegurança: cruzar os braços ou colocar as mãos nos bolsos. Enfim, como você deve relaxar bem nesta hora e sorrir bastante (sem palhaçada), os próximos passos ficarão mais facilitados. Veja:

Adolescentes cantando-1Se sair para algum lugar, por exemplo, para uma mesa vizinha onde há outros amigos seus, mantenha o contato visual com a moça ou o moço que quer conquistar. Isso, além de demonstrar o bom interesse, sempre dará a impressão de que sua idade é maior que a de sua carteira de identidade. A verdade é que conversar faz parte do ritual e é melhor do que qualquer outra atitude pouco natural. Não tenha medo de ser você mesmo(a): Nada de escrever um roteiro na cabeça para falar igual a um papagaio. Nunca se sabe se o(a) outro(a) não vai perceber a sua “decoreba” e assim perder interesse em você…

Na hora de escolher o que falar: Nada de ficar falando sobre defeitos seus ou dos outros. Busque sempre o bom humor, pois ele é, além de espiritual, afrodisíaco! Além disso, sempre valorize o que os outros estiverem conversando. Numa paquera, aquele que sabe “estar bem” em todos os papos será o conquistador do coração pretendido. A regra do “saber ouvir” aqui é fundamental.

Adolescentes-2Longe de você o medo da rejeição! Você não tem idade para ter este trauma ainda! Deixe essas dores para o futuro, se é que ele merece! Se a empatia rolar bem, a química também vai rolar. Ora, o máximo que pode acontecer é você levar um NÃO, que sempre deve ser encarado como uma situação comum e normal na vida, e ninguém nunca está livre de ouvir um. O mundo não vai acabar ali, pode crer. Na verdade, os insucessos no jogo do amor é que lhe fazem adquirir a prática dos experientes, que dificilmente não ficaram “bem calejados” ao longo da vida amorosa. Porquanto paquerar bem requer toda experiência, e por isso você deve experimentar bastante, ou seja, envolva-se em muitas conversas com muitos(as) paqueras e vá se aperfeiçoando com confiança, até que um dia – talvez cedo – você se tornará um(a) “expert”, do tipo conhecido por “ganhão” ou “domadora”.

Por último, tenha em mente que você é um ser especial, escolhido por Deus para um lugar especial no seu Reino, e que Ele tem alguém a quem fará interessado(a) por você, do jeito que você é, melhorando sempre. Nossa vida neste Planeta é nossa temporada na Escola de Deus, e o que Ele quer é o seu bom aprendizado, com o qual você ganhará um outro coração e Ele ganhará o seu.

Sobre John Valente

Prof. John Valente - Especialização: relacionamento conjugal cristão; Formado em Administração de Empresas e Teologia, especializou-se em Ciências da Religião, e participou de diversos cursos e treinamentos na área de relacionamento conjugal, inclusive o Seminário de Relacionamento Afetivo da “Agência de Casamento” que lhe apresentou à sua esposa.
Esta entrada foi publicada em Casamento. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code