O plano macabro para promover o sexo livre

Quase como um acordo “de cavalheiros”, os inimigos libidinosos da Humanidade urdiram uma trama macabra para azedar e arruinar o casamento e assim deixar a sugestão de sexo sem compromisso livre de quaisquer escrúpulos morais.

O que está por trás de uma orgiaApós longos e longos anos de estudo da antropologia, da psicologia e da teologia, pudemos coletar dados suficientes para afirmar e firmar o presente argumento, em complementação a tudo o que este Site (“Casamento-a-Três”) tem divulgado ao grande público. A conclusão final a que chegamos é impressionante, e, apesar de sua complexidade, poderá sim mostrar-se às claras para o mais leigo dos leitores, mesmo aquele que não crê em Deus, nem no amor, nem no casamento.

Imagine o leitor que este mundo foi criado a partir de um plano muito bem estruturado pela inteligência que criou o cosmos, ficando esta estrutura com uma única dúvida em sua perfeição, a saber, se a liberdade concedida iria desviar-se para o bem ou para o mal. A dúvida final aumentou após o ato de rebeldia de um agente celestial, que morava com o próprio Deus, o qual acabou enxotado para este planeta e aqui passou a fazer o ser humano correr o mesmo risco de Queda.

Após ceder à tentação da presunção de se julgar superior pelo direito de decidir as coisas livremente, o Homem passou a experimentar todo tipo de dificuldade e desgraça em sua vida biológica e espiritual, e seu próprio abandono tornara-se uma das únicas coisas capazes de lhe conduzir a um arrependimento (ou volta ao primitivo estágio de lucidez) e por isso ele perdeu também o contato físico com Deus. Restava-lhe o contato espiritual, mas este dependia de sua fé pessoal – danificada ou aniquilada pela Queda – e de sua paz interior, quebrada pelo exercício da maldade e pela constante aproximação da sugestão inimiga, chamada Tentação.

Como este artigo quer explicar e explicitar o plano macabro para promover o sexo livre, é de grande valia e utilidade levar o leitor a ver que todas as áreas do ser humano foram afetadas com a Queda, e aqui vão exemplos resumidos de cada caso, como se o leitor fizesse para cada um a sua pergunta respectiva. Seria assim:

Cérebro com parte faltando-Alzheimer3– O que foi arruinado na mente do homem? Tudo, menos a luz de seu espírito, pois o Homem, por mais emaranhado que tiver ficado em sua incursão ao pecado, ainda poderá enxergar uma luz, ainda que bruxuleante, a apontar para uma esperança de ressurgir das cinzas, como uma fênix.

– O que foi arruinado no coração do homem? Tudo, aqui literalmente tudo. Pois o coração tornou-se desesperadamente corrupto, infiel e cruel, cedendo todo o seu espaço para o egocentrismo e a apropriação de espaços que caberiam à vida em sociedade, como Deus planejou. Até quando procura amar, o coração humano carrega tantos maus vícios que seu próprio amor é corrupto, não dando espaço para nenhuma caridade verdadeira e desinteresseira. Reler Jr 17,9 e Mt 15,19.

– O que foi arruinado no trabalho do homem? Praticamente tudo, pois somente quando trabalha naquilo que gosta, e ganhando muito bem, o homem está feliz, mas sua felicidade quase sempre não se traduz em caridade; e ele pode até ganhar bem, mas jamais faz o bem ao próximo como Jesus pediu que fizesse (Lc 18,22).

– O que foi arruinado na conta bancária do homem? O homem nunca consegue ficar rico sem acumular riqueza por meio ilícito ou sem explorar o trabalho “escravo” de outros, e por isso a sua conta bancária geralmente se transforma numa latrina financeira que ele precisa “lavar”.

– O que foi arruinado na sociabilidade do homem? Praticamente tudo, pois o Homem geralmente se relaciona com o próximo apenas na medida em que este pode lhe ser útil para alguma coisa, e as amizades desinteressadas geralmente são mal interpretadas e desconfiadas. Esta constatação é ainda pior quando se trata de amizades entre mulheres. Etc..

A pergunta “o que foi arruinado no casamento?” seria a matéria propriamente dita deste artigo, e é exatamente aqui que nosso argumento se robustece. O que planejou o inimigo?

Meu nome é ingratidão-ShakespeareOra; o inimigo queria infelicitar Deus dando-lhe decepção em cima de decepção sobre o Planeta Terra, não permitindo nenhum sinal de boa vontade e caridade da parte dos homens. Porém, fazer Deus infeliz não é possível, e o máximo que se aproxima disso é gerar-lhe irritação ou ira, e por isso o plano teria que garantir a adesão voluntária do Homem em cada vez maior espaço de ação, fazendo a Humanidade abandonar a Deus em todas as áreas, como se vomitasse em cada prato que Deus tão amorosamente nos prepara. Tudo, pois, teria que ser culminado pela INGRATIDÃO, esta sim, uma dor terrível a esbofetear o Sagrado Rosto com a frieza de um ódio implícito!

Assim sendo, era necessário que até mesmo na união de amor entre um homem e uma mulher, que Deus motivou até pela adição do prazer colossal do sexo, os casais não se entendessem e estivessem sempre “em-pé-de-guerra”, promovendo separações dolorosas para os dois e traumas profundos nas crianças por eles geradas. Entretanto, isto ainda pode ser entendido como o lato senso da desgraça, porque esta teria que descer ao nível mais minudente da inimizade, iniciada por reclamações, pioradas por rixas, transformadas em intrigas, agravadas por discussões e estas culminadas em brigas, se possível brigas físicas.

Solidão a dois - 1E no estrito senso? No estrito senso a ideia geral era transformar o matrimônio numa experiência tão desagradável que cada casal acabasse deixando escapulir a confissão das chatices e das dores do casamento, incentivando por tabela a que outros casais desistissem de casar ou entrassem no jogo já desconfiados, ressabiados e preparados para brigar e separar. A incidência irritante de contrariedades e conflitos de opinião e gostos pessoais tinha que minar aquela Instituição por dentro, de tal maneira que a sociedade inteira acabasse achando que “casar é uma m…”, e recasar é trocar “m… por fezes”. Viver junto com alguém, debaixo do mesmo teto (plano original de Deus), tinha que ser desmantelado e desmoralizado, para que a sociedade inteira visse as chatices e sofrimentos desta loucura de união, que começava no tesão a pernas abertas e terminava na prisão a portas abertas, que é a solidão a dois.

Assim e com efeito, fazendo a sociedade inteira pensar mal do casamento, e fazendo a Mulher ver que ela era sempre a principal vítima da desgraça, o próximo passo no plano maligno estava consumado: a Mulher então foi paulatinamente levada a ver que “não vale a pena casar”, seja casar no sentido de se juntar debaixo de um mesmo teto, seja casar no sentido de juntar as assinaturas num cartório! Enfim, era a união que estava aniquilada, seja ela oficializada num cartório, seja ela celebrada numa igreja, seja ela experimentada à moda hippie (sem formalidade alguma). E o resultado vitorioso foi: “fazer o casamento ser uma instituição cada vez pior para convencer e incentivar as mulheres a raciocinar que é muito melhor apenas transar do que casar com homens”. Eis o plano exposto!

Mas o leitor pergunta: e os homens? E a macharada? Ora, amigo, você acha que para a maioria esmagadora dos homens, há alguma diferença entre transar com a esposa e com outra mulher? Você acha que um homem distingue entre a namorada e as namoradinhas? Pior: você acha que o pênis masculino distingue a vagina “A” da vagina “B”? Você acha que algum homem ficará infeliz por saber que agora todas as mulheres preferem transar a casar?

Homem reclamando de mulher-2Ora, amigo. Seja Homem! Tenha coragem de reconhecer isso! Na verdade, seja macho! Fale como você sempre pensa: com sua cabeça de baixo e não com a de cima! Ou você pensa que engana esta raposa velha que lhes fala? Amigo: também sou homem e tenho pênis, e sei como o bicho pensa! Aliás, aqui foi dito que o casamento foi arruinado para que as mulheres o achassem ruim e com isso preferissem a transa sem compromisso, certo? Mas eu pergunto: quem de nós homens achamos fácil conviver com elas? Quem de nós não se irrita com as mulheres? Quem de nós aguenta as conversas delas? Quem de nós nunca sofreu as chatices delas, e nunca teve vontade de brigar feio ou dar-lhes um tapa para calarem a matraca?

Eis aí a verdade, amigo. O plano do diabo está exposto, e o argumento foi entregue. Agora todos já sabem porque o sexo ganhou tanto IBOPE nestes últimos 50 anos, e porque a depravação campeia solta. Porque agora todos dizem, inclusive as mulheres: “o sexo é tudo de bom que um casamento oferece, mas sem as chatices dele”. O plano total para promover o sexo livre está exposto, e depois dele viria a orgia coletiva, depois a pedofilia, depois a nova Sodoma e no final o próprio inferno! Enfim, só resta o consolo de que Deus, conquanto se mantenha longe de tanta sujeira, ainda mantém as portas abertas para um homem e uma mulher que porventura queiram “casar decente”, junto com Ele mesmo e a santíssima Trindade, fazendo o que chamamos de um “Casamento-a-Três”.

***   ***   ***

PS: Pedimos aos leitores que assistam aos seguintes vídeos:

João Lima diz ter presenciado uma orgia a céu aberto com adolescentes fazendo sexo ao ar livre: https://www.youtube.com/watch?v=2IscRy2qg6M

Professor MARO Filósofo dizendo que “queremos apenas decência neste mundo”: https://www.youtube.com/watch?v=EhtUsF2gRnU

 

Sobre John Valente

Prof. John Valente - Especialização: relacionamento conjugal cristão; Formado em Administração de Empresas e Teologia, especializou-se em Ciências da Religião, e participou de diversos cursos e treinamentos na área de relacionamento conjugal, inclusive o Seminário de Relacionamento Afetivo da “Agência de Casamento” que lhe apresentou à sua esposa.
Esta entrada foi publicada em Casamento. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a O plano macabro para promover o sexo livre

  1. Artigo muito bom ! Parabéns

  2. Latanya disse:

    Your data is incredibly appealing.

  3. Joseph disse:

    Very nice post. I just stumbled upon your blog and wanted to say that I’ve really enjoyed
    browsing your blog posts. After all I will be subscribing to your feed
    and I hope you write again soon!

  4. Estou chocada com o que eu acabei de ler, mais é a pura realidade, nunca parei para pensar a respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code