Homem e mulher não foram feitos para viverem sós

Desde a mais longínqua primavera do Éden, a sentença divina está valendo firme e forte até os dias de hoje: “Não é bom que o homem (e a mulher) esteja só”. Isto significa que o “Casamento-a-Três” nasceu muito antes do casamento a dois.

Casal sozinho na floresta-2Desde as mais longínquas eras, a Humanidade tem-se feito perguntas interessantes que, se não são de todo memoráveis, são pelo menos um sinal transcendental deixado de propósito no espírito humano, como se Deus não quisesse ser esquecido, ou como se Ele mesmo não conseguisse fazer uma criatura que não contivesse esses estranhos sinais na profundidade de sua psique (como um pintor não consegue evitar que seus quadros tenham o seu “estilo”). Ou, enfim, é como se a saudade de toda alma fosse algo indelével, que nem o tempo, nem uma doença, nem uma droga pudesse eliminar.

É nesta gavetinha mental que se esconde a saudade do paraíso perdido e, com ela, a sensação de que a solidão é insuportável, e que Deus deve ter feito a mulher para suprir este vazio que a costela deixou. Ficar sozinho é tão ruim que hoje já se sabe até que sentir a solidão pode fazer tanto mal para a saúde quanto fumar (veja ótima matéria sobre isto NESTE link). E o Senhor, com sua onisciente sabedoria, também preparou uma forma especial de como o Homem e a Mulher iriam suprir este seu senso de solidão “incorrigível”, a saber, unindo-se numa união de carne e osso, mas também uma união transcendental com Ele mesmo, naquilo que esta Agência chama de “Casamento-a-Três”.

Lua-azul2Aquela sensação tênue mas inquietante dentro de cada alma criada, aquele sintoma incômodo de que alguma coisa está em falta dentro de nós, pode não apenas levar para o matrimônio (quando o homem e a mulher pensam corretamente), mas também para o manicômio e o desespero, os quais acontecem quando uma pessoa, sentindo-se golpeada pela solidão insolúvel (depois de muita procura de alguém com quem dividir as horas), vê passar os anos e não a solidão, o tempo e não a sua luta interior, que a ciência diz ser intrínseca do animal gregário que a Evolução criou.

Neste sentido das coisas, as notícias nos chegam com casos terríveis de tentativa de combate à solidão, os quais chegam mesmo às raias da loucura, quando homens e mulheres em desespero buscam fórmulas anômalas de pressionar alguém a se manter na relação, muitas vezes já desgastada pelo egoísmo e pelo ciúme.

Galo-cornoÉ aqui que entram aquelas notícias de homens que ameaçam matar sua ex-companheira pela simples razão de ela não querer mais viver com um cara que a cercou de insinuações de traição (demonstrando total apego ao pior dos sentimentos numa relação amorosa, a saber, a desconfiança); bem como as histórias de mulheres tresloucadas que invadem o ambiente profissional de seus ex-companheiros que não conseguiram mais aguentar a convivência com aquele ciúme patológico.

Todavia, graças a Deus, os exemplos que estamos dando ocorrem em muito maior montante no seio da sociedade secular, e os casos extremos de ciúme dificilmente são verificados em lares cristãos, sobretudo quando o casal mantém suas atividades religiosas em dia. Isto não é garantia infalível de segurança e durabilidade da relação, mas é um sinal muito forte de que há uma grande possibilidade (99% de chance) de aquele casal terminar seus dias juntos.

Logo, esta Agência não pode deixar de pontuar que se algum conselho deve ser dado para quem sonha em viver uma relação sadia e prazerosa, o conselho é que esteja com sua vida espiritual bem ajustada com Deus, pois a partir dela é que as soluções e os “remédios” para os pecados profundos (que todos nós temos) podem sem visualizados, quando o casal mantém consciência em paz com o Médico dos médicos, o Senhor Jesus.

A Serpente do EdenSim, Deus não fez o Homem para estar só, nem mesmo no Paraíso! Quanto mais num mundo conspurcado e perigoso quanto este. E também a Mulher, criada a partir de uma costela de Adão, também não se sente feliz e realizada na solidão, mesmo que ela saiba se virar muito bem, saiba fazer sua própria comida e lavar suas roupas. Porém é triste ver que o mundo moderno, oferecendo à Mulher a pseudoliberdade da decisão egoística, empurrou todas elas para uma situação de insegurança total, e isto explica a quantidade de remédios para depressão comprados atualmente.

Não caia nessa, seja você homem ou mulher: você não foi feito para a solidão, e nem mesmo essa vida de promiscuidade, quando ninguém sabe com quem vai dormir e com quem vai acordar, satisfaz aquela sede anímica em seu interior, à qual o sexo apenas afaga e encobre com as sensações ilusórias do orgasmo físico. Porquanto a dor está na alma, da mesma forma como o vício de comer está na mente, e não no estômago do gordo.

Se você sente essa dor ou a sede de encontrar sua costela perdida, não se iluda com sexo e casos descartáveis: procure andar na linha e tentar uma relação efetiva, qualificada e completa, com a qual você entre em profunda comunhão de coração, encontrando aquela resposta que somente seu vazio preenchido lhe acalmará. É quase uma conversão religiosa: sua alma só estará preenchida com ou por Deus, que é a única grandeza capaz de preencher um vazio infinito.

Sobre John Valente

Prof. John Valente - Especialização: relacionamento conjugal cristão; Formado em Administração de Empresas e Teologia, especializou-se em Ciências da Religião, e participou de diversos cursos e treinamentos na área de relacionamento conjugal, inclusive o Seminário de Relacionamento Afetivo da “Agência de Casamento” que lhe apresentou à sua esposa.
Esta entrada foi publicada em Casamento. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code