10 Regras Fundamentais para manter o casamento viável

Baseadas em regras extraídas de livros especializados e acondicionadas pela ótica bíblica do site da Escola de Aprofundamento Teológico

Datilografia livro-beijoParece até que foi ontem que nós dois subimos ao altar e fizemos a nossa promessa solene, perante Deus e o mundo, de ficar juntos na saúde e na doença, na pobreza e na riqueza, na alegria e na dor, enfim, no melhor e no pior de nosso relacionamento ao longo do tempo. Uma dureza de pensar e uma coragem louca de exprimir! Onde estávamos com a cabeça? Dá para pensar…

Pois à medida que o tempo vai passando, e a promessa que fizemos vem vindo contra nós numa série de ameaças assustadoras, a coisa vai crescendo na rotina do nosso dia-a-dia e as “manias silenciosas” de cada um finalmente ficam expostas e claras como o meio-dia.

Em razão da surpresa desagradável que as ameaças produzem em nós, oferecemos a seguir 10 (dez) atitudes selecionadas pelos entendidos para que você consiga manter ou sustentar os vínculos voluntariamente adquiridos por aquela louca promessa ao altar.silencio (1)

1ª) Não julgar ninguém é outra forma de dizer “silêncio”, se você não consegue parar de falar. Fazer silêncio na hora “H” sempre terá um peso enorme no desenrolar de seu relacionamento, seja um namoro ou um “Casamento-a-três”. A hora “H” é aquela em que você percebe que se for adiante, vai azedar o clima entre vocês. Logo, saber calar é uma ciência maior do que saber falar.

2ª) Não faça apostas que lhe levarão a se sentir tentada a cobrar o seu resultado. Coisas como está sempre pronto(a) a dizer: “Eu não disse que isso ia acontecer?”; ou “por que você não me ouviu?”, ou pior ainda, dizer “Eu sabia que isso ia dar errado”. Nada disso serve pra nada. Lembre que o amor que uniu vocês dois é o que importa, e quanto mais valor ele tiver, mais triste será feri-lo por uma bobagem dessas.

3ª) Nunca se esqueça de que ao casar com ele(a) e prometer aquilo tudo na igreja, você também casou com (e prometeu para) a família dele(a) o mais precioso de seu coração, e é ele quem deverá receber todas as suas atenções desde então. Mesmo que a família dele(a) seja das piores gentalhas, sua missão divina é procurar “ganhá-los” pela virtude e mansidão da Palavra de Deus, pois o seu lar doce lar sempre será o espelho do Paraíso para quem ainda não se encontrou.

4ª) Cuidado para não deixar a raiva (ou pior, a alegria – sim, a alegria) torná-lo(a) menos consciente das responsabilidades de um matrimônio cristão, e um dia você se flagrar dizendo coisas que pareçam indicar que você não casou, mas apenas está namorando um(a) cara/mulher qualquer. Porquanto se seu casamento foi o matrimônio eterno de Deus (“Casamento-a-três”), você terá que pensar tudo com a Eternidade a pontuar as coisas, já que seu companheiro continuará com você após a morte.Casal em carícias na praça-1

5ª) Lembre que este casamento eterno (“Casamento-a-três”) possui muitos segredos que só interessam a vocês dois. De uma vez por todas, tire de sua lista de distrações aquilo que se chama jogar conversa fora, sobretudo se no pacote você introduzir algum daqueles segredos. Este será um erro fatal e você prestará contas a Deus sobre cada um de seus pecados.

6ª) Se entrou no jogo pra valer e se prometeu alguma coisa perante Deus e todos os convidados de seu casamento, sua única saída é cumprir aquilo tudo à risca. Isto vale sobretudo para a questão da fidelidade, pois assim como Deus não perdoa quando não perdoamos, Deus retirará seus favores de fidelidade se fores infiel ao seu cônjuge: toda infidelidade ao cônjuge é infidelidade a Deus.

7ª) Nunca deixe morrer o que a Bíblia chama de “primeiro amor”. Não se refere à primeira mulher/homem que você amou, mas ao primeiro momento de seu amor atual, do qual você deve extrair todas as lembranças de sua vida, compartilhando músicas marcantes, perfumes da época, lugares visitados, enfim, as boas emoções que fizeram despertar a sua paixão inicial.

8ª) Feche os olhos para os esquecimentos de seu parceiro(a), lembrando que você também se esquece de coisas importantes, ou se esquecerá um dia. Datas de namoro, bodas, aniversários, etc., são coisas pequenas demais para merecerem um lugar na sagrada rotina de vocês, e lembrar das “obrigações da Bíblia” será sempre a tarefa número 1 a ocupar sua mente.

LEITURA-BIBLICA19ª) Não negligenciar a leitura da Bíblia e os comunicados de sua igreja. Lembre que, no apagar das luzes, é a Escritura quem está construindo o seu lar, e é ela quem servirá de alicerce para garantir a Eternidade do vosso amor. Uma única desobediência à instituição do Matrimônio cristão poderá iniciar o processo de corrosão que só trará infelicidade e angústia.

10ª) Usando sempre a chamada “regra áurea” do Novo Testamento, praticamente tudo correrá bem, mesmo quando a situação parecer injusta. Pois quando você “fizer para com ele tudo aquilo que quer que ele lhe faça”, os dois caminharão tão unidos em propósitos e bênçãos que todos os problemas tenderão a fugir ou esmaecer feito fogo em barco de madeira dentro do mar.

Enfim, vá viver seu casamento em alto nível. Goze seu “Casamento-a-três”. Curta esta bênção que Jesus lhes deu, sem negligenciar estas regrinhas leves. Ninguém mais do que vocês sabem que isto é a vontade de Deus.

Sobre John Valente

Prof. John Valente - Especialização: relacionamento conjugal cristão; Formado em Administração de Empresas e Teologia, especializou-se em Ciências da Religião, e participou de diversos cursos e treinamentos na área de relacionamento conjugal, inclusive o Seminário de Relacionamento Afetivo da “Agência de Casamento” que lhe apresentou à sua esposa.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code